segunda-feira, 14 de março de 2011

Bactérias

O Reino Monera é composto pelas bactérias e cianobactérias (algas azuis). Elas podem viver em diversos locais, como na água, ar, solo, dentro de animais e plantas, ou ainda, como parasitas.





As bactérias
     A maioria se seus representantes são heterótrofos (não conseguem produzir seu próprio alimento), mas existem também algumas bactérias autótrofas (produzem sem alimento, via fotossíntese por exemplo).
Existem bactérias aeróbias, ou seja, que precisam de oxigênio para viver, as anaeróbias obrigatórias, que não conseguem viver em presença do oxigênio, e as anaeróbias facultativas, que podem viver tanto em ambientes oxigenados ou não.
As formas físicas das bactérias podem ser de quatro tipos: cocos, bacilos, vibriões, e espirilos. Os cocos, podem se agrupar, e formarem colônias. Grupos de dois cocos formam um diplococo, enfileirados formam umestreptococos, e em cachos, formam um estafilococo.
Por serem os seres vivos mais primitivos da Terra, eles também são os que estão em maior número. Por exemplo, em um grama de solo fértil pode haver 2,5 bilhões de bactérias, 400 mil fungos, 50 mil algas e 30 mil protozoários.
Estrutura celular
As bactérias não tem núcleo organizado, elas são procariontes, ou seja, o DNA fica espalhado no citoplasma, não possuem um núcleo verdadeiro . Por isso, o filamento de material genético é fechado (plasmídeo), sem pontas, para que nenhuma enzima comece a digerir o DNA. Possuem uma parede celular bastante rígida.
Para se locomoverem, as bactérias contam com os flagelos, que são pequenos sílios que ficam se mexendo, fazendo a bactéria se mover (igual ao espermatozóide humano, só que muito mais simples). Também podem possuir Fímbrias, que são microfibrilhas protéicas que se estendem da parede celular. Servem para “ancorar” a bactéria. Existem também as fímbrias sexuais, que servem para troca de material genético durante a reprodução e também auxiliam as bactérias patogênicas (parasitas) a se fixarem no hospedeiro.
A Cápsula, camada que envolve externamente a bactéria, formada por polissacarídeos, serve para a alimentação (fagocitose), proteção contra desidratação, e também para que o sistema imunológico hospedeiro (no caso das parasitas) não a reconheça.
Reprodução
A reprodução das bactérias ocorre de forma assexuada, feita por bipartição (divisão binária, ou cissiparidade), onde a célula bacteriana cresce, têm seu material genético duplicado, e então, a célula se divide, dando origem a outra bactéria, geneticamente igual à outra.
A variabilidade genética das bactérias é feita de três formas: conjugação, que consiste em uma bactéria transferir material genético para outra, e vice-versa, através das fímbrias; transdução: é a troca de genes feita através de um vírus, que invade uma célula, incorpora seu material genético, e o transmite para outras células; transformação: as bactérias podem incorporar ao seu DNA fragmentos de materiais genéticos dispersos no ambiente.
As bactérias também podem originar esporos, em condições ambientes desfavoráveis à reprodução (altas ou baixas temperaturas, presença de substâncias tóxicas, etc). Eles são pequenas células bacterianas, com uma parede celular espessa, pouca água e um material genético. Elas são capazes de ficarem milhares de anos nestes ambientes, esperando por uma condição do ambiente melhor.
A importância das bactérias
As bactérias também têm sua importância no meio ambiente, assim como qualquer ser vivo.
- Decomposição: Atuam na reciclagem da matéria, devolvendo ao ambiente moléculas e elementos químicos reutilizáveis por outros seres vivos.
- Fermentação: algumas bactérias são utilizadas nas indústrias para produzir iogurte, queijo, etc (derivados doleite)
- Indústria farmacêutica: na fabricação de antibióticos e vitaminas
- Indústria química: na produção de alcoois, como metanol, etanol, etc;
- Genética: com a alteração de seu DNA, pode-se fazer produtos de interesse dos seres humanos, como insulina
Fixação do Nitrogênio: retiram o nitrogenio do ar e o fixa no solo, servindo de alimentação para as plantas



Doenças Causadas

As bactérias causam muitas doenças em seres humanos e animais, desde pequenas cáries até grandes infecçõesque podem levar à morte. Veja abaixo uma lista das principais bacterioses:

Cólera


     A doença da bactéria Vibrio Cholerae causa forte diarreia, e é transmitida pela água contaminada.

    Reino: Monera
    Filo:Proteobacteriana
  • Classe:gamma proteobacteriana
  • Ordem:Vibrionales
  • Família: Vibrionaceae
  • Género: Vibrio
  • Espécie: V. cholerae
  •  
 A cólera é uma infecção intestinal aguda causada pelo Vibrio cholerae, que é uma bactéria capaz de produzir uma enterotoxina que causa diarréia.  Apenas dois sorogrupos (existem cerca de 190) dessa bactéria são produtores da enterotoxina, o V. cholerae O1 (biotipos "clássico" e "El Tor") e o V. cholerae O139. O Vibrio cholerae é transmitido principalmente através da ingestão de água ou de alimentos contaminados. Na maioria das vezes, a infecção é assintomática (mais de 90% das pessoas) ou produz diarréia de pequena intensidade. Em algumas pessoas (menos de 10% dos infectados) pode ocorrerdiarréia aquosa profusa  de instalação súbita, potencialmente fatal, com evolução rápida (horas) para desidratação grave e diminuição acentuada da pressão sangüínea.

Gonorréia 
 Reino: Monera
Filo: Proteobacteria

Classe: Betaproteobacteria
Ordem: Neisseriales
Família: Neisseriaceae
Género: Neisseria
Espécie: N. gonorrhoeae


    Gonorréia, blenorragia ou esquentamento é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível) muito freqüente, que acomete principalmente a uretra. Causada pela bactéria "Neisseria gonorrhoeae", é adquirida através de sexo vaginal, anal ou oral com pessoa contaminada. 

    Sintomas Os sintomas se instalam de dois a 30 dias após o contato sexual suspeito e diferem no homem e na mulher. No homem, a infecção é bastante aparente, manifestando-se principalmente por secreção purulenta que se exterioriza pela uretra; dor e/ou ardência ao urinar e micção freqüente. Cerca de 20% dos homens infectados não apresentam sintomas. Nas mulheres, em cerca de metade dos casos não existem sintomas, ou estes são muito brandos e não chegam a ser percebidos. Os mais comuns são: - corrimento vaginal, - irritação da vulva e vagina, - dor e/ou ardência ao urinar. Os sintomas iniciais da doença inflamatória pélvica são: - dor no baixo ventre, - febre, - náuseas e vômitos e - dor ao coito. 

  

Lepra(Hanseníase)
     Infecção da pela pela bactéria Mycobacterium leprae.
 Características clínicas da lepra ou hanseníase 
A lepra, ou hanseníase, é uma doença infecciosa que afeta a pele e nervos periféricos, mas tem uma ampla gama de possíveis manifestações clínicas. Pacientes são classificados como tendo hanseníase paucibacilar ou multibacilar.  
A hanseníase paucibacilar é mais leve e é caracterizada por uma ou mais manchas claras na pele. A hanseníase multibacilar é associada a lesões simétricas na pele, nódulos, placas e freqüentemente afeta a mucosa nasal resultando em congestão nasal e sangramento pelo nariz.Agente infeccioso da lepra
O agente infeccioso da lepra é o bacilo Mycobacterium leprae, que se multiplica bem devagar e manifesta-se principalmente na pele, nervos e membranas mucosas.
Transmissão da lepra
Embora o modo de transmissão da lepra ainda permaneça incerto, a maioria dos pesquisadores acha que o Mycobacterium leprae é geralmente transmitido de pessoa para pessoa através de gotículas da respiração. As pessoas com maior risco de contrair lepra são aquelas com contato próximo a pacientes com a doença ativa e sem tratamento, especialmente a hanseníase multibacilar.



Fonte:http://www.copacabanarunners.net/hanseniase.html

 Sífilis
 Doença sexualmente transmissível, causada pelo Treponema pallidum.
 Reino: Monera

Filo: Spirochaetes
Classe: Spirochaetes
Ordem: Spirochaetales
Família: Treponemataceae
Género: Treponema
Espécie: T. pallidum


O que é sífilis?

Sífilis é um tipo sério de infecção bacteriana. Geralmente é transmitida de uma pessoa a outra através do contato sexual. Quando não é tratada , a sífilis pode levar a lesão irreversível de tecidos como o cérebro e os nervos.

Como ocorre?

bactéria que causa a sífilis entra no corpo através das aberturas de órgãos como a boca a vagina ou o reto, e também por cortes ou machucados na pele.

Durante os estágios iniciais da doença aparecem vesículas pelo corpo, especialmente na região genital. Se tocar em uma destas vesículas de uma pessoa contaminada, é bem provável que bactérias entrem em contato com a sua pele. Se então estas bactérias atingirem alguma região úmida de seu corpo (por exemplo: boca, ânus ou vagina) ou então em algum corte na pele, há probabilidade de contaminação. Uma vez dentro do organismo a bactéria se espalha rapidamente através da corrente sangüínea.

Quais são os sintomas?
Os sintomas da sífilis variam de acordo com o estágio da doença. Assim, durante o primeiro estágio aparecem pequenas vesículas avermelhadas, indolores que se chamam "cancro". As pessoas desenvolvem o cancro geralmente na região próxima aos genitais, entretanto pode aparecer em qualquer lugar do corpo. As mulheres podem não perceber que têm cancro se os mesmos estiverem no interior da vagina. Os cancros localizados no pênis geralmente são visíveis. Estas vesículas podem surgir de 10 dias a 3 meses após o contato com uma pessoa contaminada e duram normalmente de 1 até 8 semanas.

Se for infectado e ficar sem tratamento a doença evoluirá para um segundo estágio. Este segundo estágio é chamado de sífilis secundária que começa então de 6 a 12 semanas após o contato com uma pessoa infectada e pode durar desde algumas semanas até mesmo 1 ano. Os sintomas deste segundo estágio são:

- um enrubescimento discreto da pele com o parecimento de feridas e cascas por todo o corpo (exantema) que pode incluir manchas nas palmas da mão, na sola do pé que são altamente contagiosas.
Gânglios linfáticos inchados (ínguas)
- Sintomas de resfriado comum tais como febre, corpo dolorido, dor de cabeça , fatiga e falta de apetite.
- Perda de cabelos em tufos.
- Crescimento de verrugas semelhantes a couve-flor na área em volta do ânus.

Como é o tratamento?
A doença geralmente é tratada através doses de penicilina oral ou injetável. O médico poderá ainda receitar eritromicina ou tetraciclina se for o caso de você ser alérgico a penicilina.







Fonte:http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3309&ReturnCatID=1793



Tuberculose
     Causada pelo Mycobacterium tuberculosis, é uma das doenças mais antigas conhecidas.

O que é tuberculose?


A tuberculose é uma infecção causada pelo bactéria Mycobacterium tuberculosis, a qual mais comumente afeta os pulmões (tuberculose pulmonar), mas também pode atingir o sistema nervoso central (meningite), sistema linfático, sistema circulatório (tuberculose miliar), sistema geniturinário, ossos e articulações.
A tuberculose é uma das infecções mais comuns e mortais atualmente, principalmente nos países em desenvolvimento. Porém, os países em desenvolvimento não são os únicos lugares com tuberculose. Há um número em elevação de pessoas nos países desenvolvidos que contraem tuberculose devido ao sistema imunológico enfraquecido, geralmente como resultado de drogas imunodepressivas ou HIV/Aids.


A maioria das pessoas infectadas (90%) tem a infecção latente assintomática. Há 10% de probabilidade que durante a vida a tuberculose latente progrida para doença de tuberculose ativa a qual, se não for tratada, mata mais de 50% das vítimas.
Como é a transmissão da tuberculose?
A tuberculose é transmitida por gotículas aerossóis com a doença tuberculose ativa nos pulmões quando a pessoa tosse, fala, espirra ou cospe. Pessoas com contato próximo àquelas com tuberculose sofrem maior risco de contaminação. Um indivíduo com tuberculose ativa não-tratada pode infectar em torno de 20 pessoas por ano. Outros sob risco incluem pessoas de áreas onde a tuberculose é comum, pacientes com o sistema imunológico debilitado (por exemplo com Aids), profissionais da saúde que lidam com pacientes de risco, pessoas não servidas por sistema de saúde, populações de baixa renda, crianças expostas a adultos nas categorias de risco e usuários de drogas injetáveis ilícitas. As pessoas com tuberculose latente não transmitem a infecção.
Tratamento da tuberculose
Para todos os propósitos práticos, somente pacientes com tuberculose ativa nos pulmões podem espalhá-la a outras pessoas. Embora pessoas com tuberculose latente não a transmitam a infecção, é importante que elas sejam tratadas para prevenir a progressão para doença tuberculose ativa. A distinção entre a tuberculose ativa e a latente é importante porque há opções de tratamento diferentes para os dois grupos.


 

Fonte:www.copacabanarunners.net/tuberculose.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário